sábado, 30 de maio de 2009

Teus olhos...



Teus olhos são duas estrelas!

Brilhantes,

Cintilantes,

Distantes.

Distantes como elas...

Osvaldo Pinho in palavras

8 comentários:

susana disse...

Que bem... distantes como elas!

Tia_Cunhada disse...

Lindo...! Este poema é lindo.
Tu também tens este livro... e autografado pelo autor. Trouxe um exemplar para ti quando fui ao lançamento do livro.
Bj

susana disse...

Tenho dois livros de poemas que tu me deste. Um quase lido e outro não tocado. Vou investigar.

P. S. - ando outra vez a ler Saramago!

Tia_Cunhada disse...

A ler Saramago??? Admiro a tua coragem :-)

susana disse...

Lindo! "Todos os nomes". Nunca li descrição de conservatória que tanto me apelasse aos sentidos: particularmente ao cheiro. É impressionante o odor do texto do Saramago. Já foi isto que me fez apaixonar pelo ensaio sobre a cegueira. Uma valsa de odores!

Donagata disse...

A menina tem muito bom gosto literário. Sim senhor. Julguei que era mais Savat e coisas assim...

Afinal! É bem verdade as iludências aparudem!

Tia_Cunhada disse...

O Savate é para descarregar as energias... a poesia alimenta-me a alma...
Bjs

PAS[Ç]SOS disse...

... são a luz de que preciso para me lembrar que existo, mas quando os quero fixar, para ter a certeza de que me olham, estão demasiado longe para me assegurar mais do que... brilham!