sábado, 26 de março de 2011

Voo...


Eu queria voar sem rumo
perder-me do meu próprio ser
Rasar as searas, desafiar o vento
voar até onde infinito houver...

Quisesse a sorte ou o destino
um dia, no meu regressar
fazer do teu abraço
o meu último pousar...


MGR
Foz do Douro 17.03.11

5 comentários:

Charlotte disse...

Lindo!!! Que sonho lindo!!!

Beijinhos e bom fim-de-semana, Tia Zen!

antonio - o implume disse...

Sinto que já li isto algures... o desejo de voar não como uma partida, mas como um regresso.

Tia [Zen] disse...

Charlote!! Que bom ter-te por cá... bjs e bom w-end

É isso mesmo António... bj

Hermínia Nadais disse...

Muito bonito!

Hermínia Nadais disse...

Encanta-me a beleza deste pequenino poema.Felicidades!