terça-feira, 14 de outubro de 2008

A CABALA - Parte I

A CABALA
É um sistema religioso-filosófico que investiga a natureza divina. Kabbalah (קבלה QBLH) é uma palavra de origem hebraica que significa recepção.
É a vertente mística do judaísmo.

Origem
A "Cabala" é uma doutrina esotérica que visa conhecer a Deus e o Universo, sendo afirmado que nos chegou como uma revelação para eleger santos de um passado remoto, e reservada apenas a alguns privilegiados.
Formas antigas de misticismo judaico consistiam inicialmente de doutrina empírica. Mais tarde, sob a influência da filosofia neoplatónica e neopitagórica, assumiu um carácter especulativo. Na era medieval desenvolveu-se bastante com o surgimento do texto místico, Sefer Yetzirah, ou Sheper Bahir que significa Livro da Luz, do qual há menção antes do século XIII. Porém o mais antigo monumento literário sobre a Cabala é o Livro da Formação (Sepher Yetsirah), considerado anterior ao século VI, onde se defende a ideia de que o mundo é a emanação de Deus.
Transformou-se em objecto de estudo sistemático do eleito, chamado o "baale ha-kabbalah-kabbalah" (בעלי הקבלה "possuidores ou mestres da Cabala "). Os estudantes da Cabala tornaram-se mais tarde conhecidos como maskilim (משכילים "o iniciado"). Do décimo terceiro século em diante ramificou-se numa literatura extensiva, ao lado e frequentemente na oposição ao Talmud.
Grande parte das formas de Cabala ensinam que cada letra, palavra, número, e acento da Escritura contêm um sentido escondido e ensina os métodos de interpretação para verificar esses significados ocultos.
Alguns historiadores de religião afirmam que devemos limitar o uso do termo Cabala apenas ao sistema místico e religioso que apareceu depois do século XX e usam outros termos para referir-se aos sistemas esotéricos-místicos judeus de antes do século XII. Outros estudiosos vêem esta distinção como sendo arbitrária. Neste ponto de vista, a Cabala do pós século XII é vista como a fase seguinte numa linha contínua de desenvolvimento que surgiram dos mesmos elementos e raízes. Desta forma, estes estudiosos sentem que é apropriado o uso do termo Cabala para referir-se ao misticismo judeu desde o primeiro século da Era Comum. O Judaísmo ortodoxo discorda de ambas as escolas filosóficas, assim como rejeita a ideia de que a Cabala causou mudanças ou desenvolvimento histórico significativo.
Desde o final do século XIX, com o crescimento do estudo da cultura dos Judeus, a Cabala também tem sido estudada como um elevado sistema racional de compreensão do mundo, mais que um sistema místico.

5 comentários:

couveroxa disse...

As coisas do misticismo são as que mais fundo penetram na alma, não muitas vezes associadas ao religioso puro e cru, mas porque têm uma aura de mistério, de divino e de doutrina. A Cabala é efectivamente uma doutrina esotéria (ou não fosse a Wikipédia a dizê-lo) que tem como princípio o desvendar do sentido oculto das doutrinas e das religiões. Muito se poderia falar sobre isto, o espaço é que é curto. A seguir os novos capítulos!

susana disse...

Bem... esta é uma daquelas explicações do livro de história... Não era bem esta a minha ideia, se os outros dois se tivessem calado. De reter que, afinal, falávamos da mesma cabala, sendo que eu apenas a relacionava com o desvendar das letras e números, com o 666 da Besta, de Nero e de Hitler e do 999, defendido por alguns como o oposto da besta, o número do salvador.
Não sei mais nada.
Gracias!

joshua disse...

Muito interessante e sobretudo útil. Diz-me muito a קבלה. Deveríamos prestar mais atenção aos saberes antigos intuitivos sedimentada na história.

susana disse...

Ei joshua, não sejas mau com a minha Tia-cunhada. Ela pôs este post aqui para mim e anda tão ocupadita que nem teve tempo para o limpar. Isto tudo por causa de duas pragas que não nos deixaram conversar sobre o assunto...

Tenshi Tori Kaji disse...

Eu continuo a acreditar que a melhor religiao que pudemos seguir, é a do AMOR. Amor à Natureza e ao próximo...